Tudo o que eu preciso eu encontro em mim!

quinta-feira, 29 de abril de 2010

No movimento do tempo.






Estou evitando escrever aqui.
Estou evitando porque se eu começar eu não vou parar.
Estou evitando por mim mesma.
Eu não sei se vai ser bom pra mim despejar tudo o que grita aqui dentro... aliás, sei. Não vai!
Escrevo então em um papel, em um papel qualquer em algum lugar...
Por exemplo; o meu bloquinho de folhas rosas do trabalho acabou.
Escrevo e rasgo. Sem olhar.
Assim como fiz com você, sem olhar nos olhos!
Assim como você fez quando me viu chorar, sem me encarar.
Você não aguenta... e eu admito, nem eu.
Estou tentando calar o que sinto. É, hoje, eu estou com o rabinho entre as pernas mesmo.
Despejar tudo aqui seria me dar conta, por escrito, do tamanho do vazio,do tamanho da falta... Da falta que eu não sabia que você ia causar.
E ler, tudo isso em palavras, acaba sendo decepção á mais para mim.
Eu gosto de palavras, não vou deixar me decepcionar também com elas.
Eu tô mantendo distância... pronto, é isso e nada mais.
Distância de você, distância de mim, distância do meu coração...
Eu não quero nem sentir ele pulsar.
Eu não consigo nem reler o depoimento que te deixei, escrevi e pronto,te mandei.
Será que tem algum erro? nem sei...
Ler ou tentar concertar, qualquer coisa, será mecher mais, doer mais...
Eu estanquei a ferida pra o sangue parar de escorrer.
Depois de um tempo cicatriza, cura...
Quantas feridas eu já tive?
Quantas feridas já teve você?
Eu sei que você vai me entender.
Com um tempo tudo vai se resolver.
Mas, isso tudo é só pra te dizer: você me surpreendeu!
Que falta você tá me fazendo viu? Meu Deus!!!

Nenhum comentário: