Tudo o que eu preciso eu encontro em mim!

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Não sei por onde começar, nem sei, na verdade, o que dizer... nem como. Não sei de nada!Eu que já gritei por certezas, pelo pra sempre e sustentei firme e forte uma escolha por longas datas venho vos comunicar que eu à renunciei. Pensei em desistir do blog, pensei em parar de escrever, mas não consigo... Na minha bolsa carrego comigo milhões de rabiscos, retalhos, um pouco do que sobrou de mim e você. Um pouco de muito! Não quero que pensem que me enganei, que nunca existiu, que nada aconteceu, pelo contrário. Existiu sim, tudo o que foi escrito e mais tudo o que ficou escondido nas entrelhinhas, tudo o que passou despercebido... Quero passar despercebida aqui também. Não quero, nem consegueria me aprofundar ao ponto de analisar o contexto. Tenho medo de sentir vontade de voltar... Sei que não é certo, sei que por mais que a adrenalina me movimente, talvez agora, eu precise repousar. Eu... você também. Obrigada a quem acompanhou isso aqui, a quem vibrou comigo, a quem torceu... Fui muito feliz, fiz você muito feliz, eu sei. Mas o propósito de tudo isso aqui, foi apenas para pedir perdão pra você e para mim. Eu desisti da gente, mas a gente é sim, pra sempre. Você não vai deixar de existir pra mim, nem eu pra você. Só a gente entende, ou, talvez, não há nem o que compreender.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Surpreendendo.

É preciso entender que por mais que tu tenhas uma personalidade única, forte e formada, a vida ainda vem a te surpreender. E tu sendo tudo isso ainda sofres para se adaptar. Por mais madura que eu já seja ainda tem muito aí por vir. E é preciso ceder, ás vezes... E esse negócio de quem cede sempre é o mais fraco, é mentira. Do mesmo modo de quem desisti de alguns objetivos. Eu desisti do que fazia girar a minha vida... UM DIA A GENTE TERMINA MESMO É FICANDO TONTA. Podes crer!

sábado, 21 de agosto de 2010

Reviravolta.

Nada mais se encaixa aqui. Passei um tempo sem escrever. Porque eu não tinha o que dizer, eu não tinha mais certeza de mim, nem de você. Eu não estava encontrando os sentimentos. Não sabia eu ainda, que eles já tinham se perdido. Me poupei e poupei você de ler e reler cenas,histórias repetitivas. Um ciclo de lágrimas, momentos felizes, sorrisos de esperança e constante medo. Medo de perder, medo de ir embora... Mas o que fez eu me afastar daqui foi o medo de não querer mais voltar. E quando eu disse que nada mais se encaixa aqui, na verdade eu quis dizer em mim. Eu não sei onde foram parar os sentimentos que eu gritava de tão fortes, a certeza tão concreta, um amor que superava tudo. O que sinto hoje e agora é pena! Pena de mim, de você, da gente... Ontem eu chorei, mas eu chorei porque EU NÃO TE AMO MAIS... E a culpa não é sua de forma alguma. E talvez você nem saiba... Não é mais em você que eu penso quando acordo, eu não tenho mais planos contigo. Eu não tenho nem vontade de escrever pra ti... o que quer que seja. A carta de aniversário que você ganhou só existiu porque eu já tinha feito há algum tempo. Caso contrário, só estaria um clichê de felicidades. Não existe mais amor seu em mim. Mas só de outro alguém. E foi tudo tão rápido... Eu prometi te amar pra sempre, eu sei. Mas aqui estou eu, vacilando contigo, pra então perceber que tu não fostes o único! Eu também sou falha... Eu também sou gente... Eu também me apaixonei novamente!

terça-feira, 27 de julho de 2010

Ainda há tempo.

Eu vejo nos teus olhos, na tua indecisão,nas tuas dúvidas e na tua vontade de me amar. Ainda há tempo pra gente. Eu ainda tenho chances de virar o jogo,a partir do momento que deixei pra lá minhas manias de virar a mesa, que aliás, só me afastara de ti. Eu tenho os melhores planos de felizes para sempre aqui comigo. Eu quero alcança-los com você. Eu preciso de você comigo... Mas veja mesmo como o mundo gira e ao mesmo tempo nos cala. Eu, que já gritei por independência e auto- suficiência aqui, estou agora implorando por você. E você, que já me faz passar por cada uma e que não se importava comigo , me pede encarecidamente que eu sugira à você o que fazer. Pois aqui estou eu pra te dizer que FIQUE COMIGO! Eu imploro e te suplico. Nós vamos ter as nossas gêmeas: Maria Júlia e Ana Beatriz. Não só porque você foi gêmeo, mas minha avó também, e o gene cai para a terceira geração; meu amor, eu sempre pego as bolachinhas coladinhas que indicam filhos gêmeos, você acha coincidência então? (...) e a todas as pessoas que me humilharam e tentaram me manter distante de ti por sentimentos ruins? É claro que elas vão pagar ao me ver sendo feliz contigo; eu tenho que pôr um "Shiii!" em quem disse que o nosso amor seria platônico; em quem não acreditou em nós; em quem nos desafiou; eu sei que você vai dizer que eu gosto de confusão, mas eu só quero que tu ganhes essa briga comigo!

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Análise.

Você me faz tão bem com tão pouco... sabia? E é por isso que eu já deixei pra lá essa história de dizer que não sei porque gosto de te amar. [24-07-2010]

sábado, 24 de julho de 2010

Tudo ou nada?


Este texto não é meu, é da Fernanda Gava. E o motivo de ele estar aqui é por ser exatamente o que eu iria escrever agora. Enfim...



Estar com você é como ter tudo e não ter nada. Em você eu encontro aquilo que mais preciso numa luta injusta contra o relógio. Porque hoje somos só raros momentos. Envolvidos de magia e desespero.
Ah meu amor, porque quando você levanta e eu vejo suas costas, tudo que era doce torna-se amargo. E eu vejo claramente em seus olhos a falta de disposição para mudar a situação.
Você não cansou só de mim e do nosso relacionamento tortuoso. Você cansou do que via no espelho.
Cansou de ter alcançado a perfeição e de tê-la perdido com a mesma facilidade. Cansou de ter sonhos alcançáveis. Cansou de ser alguém regrado e que sofre como tantos outros. Você cansou da normalidade.
E por fim quem te fez assim fui eu. Que usei moldes ideais para satisfazer e dar continuidade aos meus sonhos rosas de príncipes encantados.
Veja só que ironia... Agora aqui estou eu te desejando ainda mais no momento em que transforma-se em vilão. Que me usas, me dobra, amacia e joga fora. Quando viras minha alma ao avesso sem dó, nem piedade.
Mas está tudo bem. Eu te entendo. Aceitar todas as culpas e visíveis falhas nunca foi tão fácil. Eu já não me importo em ser bruxa, monstro, um ser abominável desde que seja o teu.
Eu deixo tu brincares comigo, destruindo todos os meus conceitos feministas, até que eu não tenha mais joelhos para implorar. Até que minha tolerância vá para o saco.
Meu bem, ainda há tempo! Aproveite-se de mim e da minha momentânea falta de amor próprio. Os teus beijos vazios estão me preenchendo. Eu ainda estou fingindo acreditar nas tuas desculpas em não me atender. As tuas lágrimas maquiadas ainda me comovem. Ainda resta espaço pra você e resquícios de fé por aqui. Ainda desejo intensamente você, que afinal sabe, quando quero algo vou até o final.
E desculpa descobrir o teu segredo, mas eu sei que você também sabe que para nós nunca existirá o final.
Ele está salvo comigo. EU PROMETO.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Sonho!




" O resto é mar.
É tudo que não sei contar,
São coisas lindas que eu tenho pra te dar
Vem de mansinho à brisa e me diz
É impossível ser feliz sozinho... "           [ Tom Jobim ]