Tudo o que eu preciso eu encontro em mim!

quinta-feira, 11 de março de 2010

Qual o sentido da vida?

Repito: qual o sentido da vida? e até questiono: será, que há algum sentido? Tenho me perguntado sobre isso, tenho parado pra pensar no porquê de tais fatos, de atitudes e de consequências. No caso das consequências ainda é mais fácil acreditar na teoria do espelho: tudo o que você faz, reflete de volta pra você. Mas e quando o que a gente faz não é reconhecido? E quando não enxergam o que deveriam? E quando cobram mais e se doam menos? São tantas dúvidas... Dúvidas que não esperam, preenchidas de urgências humanas. Daquelas que matam mesmo... O que continuar fazendo? Até quando um ser humano se sustenta fazendo só a sua parte? Até agora não conheço ou não quero conhecer alguém tão paciente e perseverante. Cadê o movimento? O movimento que dá o "sentido" à vida,para sentir-se viva, que flue e faz acontecer naturalmente. Em que pedaço da estrada ele ficou perdido? Vale a pena voltar e ir procurá-lo ou seguir em frente tentando achar algum ponto de referência? (...) Pois bem, não sei. E de novo; a dúvida... que dessa vez me fez parar. Logo eu,que não olho pra trás, que não penso em nada, que sempre sei o que fazer - estou aqui perdida- procurando um sentido ou pelo menos uma direção. Talvez o que eu tenha perdido fora os sentimentos... Não dá pra chorar, nem pra rir. Cadê meu coração?

Nenhum comentário: